Sergio Weinfuter

há 4 anos · 3 min. de leitura · visibility 0 ·

chat Entre em contato com o autor

thumb_up Relevante message Comentar

A NESCESSIDADE PODE SER SUA MAIOR MOTIVAÇÃO


RC Lh
BE a a]
J ye
Bd
Br
Ce TEE EY
Ba rr
pre,

J Tr
[opehutpeiu a

                       Imagem: http://betaeq.blogspot.com.br/2014/06/motivacao-para-cursar-engenharia.html



Nada melhor para nos motivar quando estamos precisando de algo e não temos como comprar. Nessas horas a nossa criatividade aflora e conseguimos soluções que até pouco tempo atrás, nem sonhávamos. Grandes invenções foram impulsionadas pela necessidade, não somente de dinheiro, mas para solucionar algum tipo de problemas. Quando não se encontra o que procura, a tendência é criar.


Conta-se a história de um monge que em companhia de seu ajudante seguia por uma estrada de terra, em uma remota região montanhosa. A noite estava chegando e eles não tinham a menor ideia onde pernoitariam. Não conheciam a região e ela também não era muito povoada. Quase com o sol se pondo, ao fazerem mais uma das muitas curvas que tinham passado naquele dia, avistaram ao longe um pequeno casebre de barro e palha.


3d33ee05.jpg
A casa parecia não oferecer muito conforto e segurança, mas não avistavam mais nada em frente, decidiram parar e pedir abrigo para passar a noite. Ao baterem na residência, um senhor magro os atendeu e para espanto do monge descobriram que a casa era habitada por seis pessoas.


Segundo seu hospedeiro ele vivia com a esposa e quatro filhos cultivando suas terras que não eram muito boas para o plantio, quase nunca colhiam algo que pudesse alimentá-los por muito tempo e por isso boa parte de seu alimento, vinha de uma velha vaquinha. Viviam miseravelmente dessa forma, mas nada faziam para sair de tal situação.


Sem nada comentar o monge passou a noite na humilde casa e de manhã bem cedo se levantou, acordou seu ajudante e ambos seguiram viagem. Já longe do casebre, o monge viu a velha vaquinha pastando calmamente a pouca a pobre grama da região e próximo dela, um profundo abismo.


Ele ordenou a seu ajudante que empurrasse a vaca para o precipício e diante da excitação dele, ordenou outra vez, porém dessa vez mais rispidamente, pedindo que ele obedecesse, sem contar seu plano. Diante da nova ordem seu ajudante obedeceu e nem precisou fazer muita força para que a pobre vaquinha fosse parar no profundo abismo.


O ajudante tinha muitas interrogações a fazer para o monge, mas não se atreveu a formular alguma delas e seguiram seu caminho sem conversar. Por muito tempo o ajudante ficou pensando no episódio, mas não consegui entender o que o monge pretendia, com a morte da vaquinha, o único sustento daquela pobre gente, que os haviam acolhido de forma tão hospitaleira, dizia o ajudante para si mesmo.


Dois anos após o ocorrido, o monge com seu ajudante novamente se encontravam na mesma região e quando viraram a curva, com surpresa o ajudante constatou que não havia mais aquela pequena e humilde casinha. Agora havia uma enorme casa amarela, muitas vacas no pasto e até um cachorro, que quando os viu correu alegremente ao encontro deles.


524d493d.jpg
Surpreso o ajudante ficou sem palavras e o monge voltou a bater na porta da residência. Quem atendeu foi um homem-forte, parecendo gozar de ótima saúde e os convidou para entrar. Logo o ajudante deduziu que os antigos moradores haviam morrido de fome, devido terem perdido sua única fonte de sustento.


Para sua surpresa o homem conversando com o monge relatou que após a morte “acidental” de sua vaquinha, sua única fonte de sustento, ele reuniu a família e disse que se ninguém trabalhasse, todos morreriam de fome. Em pouco tempo os filhos o ajudaram na roça e tiveram uma grande colheita, que não somente sustentou a todos, mas ainda sobrou para vender na feira.


Com isso puderam demolir a casa antiga, fizeram a nova maior e melhor, compraram alguns bois, carro e agora tinham de tudo e sobrando. O monge olhando para seu ajudante nada disse, somente sorriu e este entendeu o que tinha acontecido. Se a magra vaguinha ainda estivesse viva, todos estariam na miséria, mas com a falta dela, a família se levantou, uniu-se e agora eram outras pessoas.


Da necessidade de se alimentar tiraram forças, foram a luta, em busca do que precisavam. A motivação deles nada mais foi do que a necessidade batendo em sua porta, não tinham para onde correr e tiveram que reagir, caso contrário, morreriam de fome.


Com essa história fica evidente que quando lutamos, corremos atrás do que precisamos, sempre encontramos soluções para nossos problemas. Nunca conseguiremos resolver nossos problemas em um canto sentado, chorando, é preciso levantar, reunir forças e partir em busca de uma solução. Quem sabe a solução está mais próxima do que você espera e para aumentar sua criatividade, nada melhor que a sua necessidade.


Meu blog:

http://guerreiro-das-sombras.webnode.com/



"""
thumb_up Relevante message Comentar
Comentários

Mais artigos de Sergio Weinfuter

Ver blog
há 1 ano · 2 min. de leitura

Campanha: O valor de uma vida (Salvem Laurinha)

Imagem: Divulgação da campanha. · https://www.kick ...

há 1 ano · 5 min. de leitura

O valor de uma vida

Imagem: · https://omunicipio.com.br/salve-a-laurin ...

há 1 ano · 5 min. de leitura

Divagações de um isolamento social

Imagem: · https://www.bombeiros.go.gov.br/sem-cate ...