Wallace Vianna da Silva

há 6 meses · 1 min. de leitura · visibility ~10 ·

chat Entre em contato com o autor

thumb_up Relevante message Comentar

O que fazer quando o cliente pede os arquivos-fonte do trabalho?

O que fazer quando o cliente pede os arquivos-fonte do trabalho?Imagem: Freepik/Way home studio

Essa pergunta é recorrente entre designers iniciantes e até com designers que são empresa.


Tive cliente com alto grau de ruído na comunicação, até porque o objetivo do trabalho não envolvia fazer

receita no fim do mês, era um trabalho pessoal, mas isso é outra historia.

O fato é que o/a cliente já no final - previsível - do trabalho pediu artes que fiz para mídias sociais,

para continuar a fazer o trabalho por conta própria (sinal que o trabalho estava sendo bem feito).


Eu coloquei que se a arte tivesse sido comprada em banco de imagens, automaticamente seria dela.


Se eu tivesse editado a arte - como foi - eu cobraria o equivalente a X número de postagens.


Por fim, se quisesse que eu fizesse novas postagens, o custo seria apenas das postagens.


Isso ilustra que:

Podemos ganhar dinheiro

  • vendendo o serviço ou produto feito
  • dando consultoria sobre como fazer o serviço
  • ensinando a fazer o serviço
  • chegar no resultado.

Observe que o último ítem é bem semelhante a ensinar a fazer o serviço (ensino).


Existem situações em que vender o serviço equivale a vender o capital intelectual (arquivos-fonte): quando

o cliente pede o trabalho em forma de arquivos de desenho vetorial.


E pra quem argumenta que o capital intelectual não se vende, usando como exemplo a Coca-Cola, que vende o

produto feito e não a fórmula, digo que até isso tem preço - basta saber precificar quanto se deixa de

ganhar ao vender esse tipo de conhecimento.


No caso de professores esse custo se paga e dilui quando se ensina a muitos alunos.

No caso de consultoria ou venda de CI a uma empresa, idem, pois o custo se dilui na clientela.

O que fica caro é vender o CI a pessoas individualmente (cliente pessoa física, p.ex.).


Outro argumento recorrente é que vender o CI é aumentar a concorrência.

Se o conhecimento é novo, ele vale mais.

Se o conhecimento não é novo, o seu valor está naquilo que entrega junto do que está vendendo: bom

atendimento, rapidez na entrega, ou qualquer bônus extra que puder imaginar (e que o cliente vá valorizar,

claro).
Nenhum conhecimento tem valor eterno,


Assim sendo, antes do cliente pedir os arquivos de projeto pra ele mesmo refazer o trabalho, de grátis,

coloque esses termos no contrato de serviço. Ou explique as situações em que você entrega os arquivos-

fonte, com o preço (já saindo pela tangente, já que esse assunto não constava do contrato).

thumb_up Relevante message Comentar
Comentários